Mesmo com pandemia, Lucélia e Parapuã geram mais de 1,5 mil empregos em 2020

Nos últimos meses, as consequências geradas a partir da pandemia da Covid-19 vem sendo destaque, não apenas na questão saúde, mas, também, pelos impactos sobre a atividade produtiva. Demissões, estagnação dos investimentos e diminuição no consumo são alguns desdobramentos da crise, que afeta o mundo como um todo.

Para os municípios de pequeno porte, como os que formam a microrregião de Adamantina, o atual momento pode trazer efeitos mais devastadores, já que não possuem grande capacidade de arrecadação e para geração de empregos.

Apesar dos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados pelo Ministério da Economia na segunda-feira (29), apontarem estabilização entre os desligamentos e contratações em maio -comparando com os números de abril, a maioria dos municípios da microrregião está negativa ou com pouca expressividade na geração de empregos este ano.

LUCÉLIA E PARAPUÃ ALAVANCAM EMPREGOS

De janeiro a maio, a microrregião de Adamantina teve saldo positivo de 1473 empregos. O número, apesar de significativo, não representa a realidade regional, pois se considerar apenas Lucélia e Parapuã o resultado vai para 1507 oportunidades de carteira assinada criadas em 2020.

Os outros 12 municípios, juntos, fecharam 34 postos de trabalho. Osvaldo Cruz tem a pior situação, com 210 vagas fechadas este ano.

O prefeito de Parapuã, Gilmar Martin Martins, explica que empresas dos segmentos sucroalcooleiro, granjeiro e de produção e distribuição de amendoim continuam contratando. Os setores da indústria e agropecuária são responsáveis por 343 dos 401 empregos criados nos cinco primeiros meses deste ano na cidade.

A indústria, aliada ao setor de serviços, foi a principal geradora de emprego também em Lucélia. Este ano o Município abriu 1.106 novos postos de trabalho, com saldo de 330 empregos em abril e maio – meses com consequências diretas da pandemia do novo coronavírus.

 610 empresas abertas em Lucélia

Além da atuação da indústria em Lucélia, como nos setores sucroalcooleiro e de corte e costura, outro fator pode ter contribuído para aumento dos postos de trabalho na cidade: a abertura de novos negócios.

Segundo a Prefeitura, de janeiro de 2017 até maio de 2020 foram criadas 610 empresas no Município, sendo que 379 são MEIs (Microempreendedores individuais). “Nos últimos anos, o Sebrae Aqui vem realizando importante trabalho de orientação e capacitação, o que tem motivado o aumento da formalização dos negócios. Aliada a atuação das tradicionais industrias da cidade, a busca pela formalidade tem contribuído para a geração de novos postos de trabalho”, disse a Administração Municipal.

Apenas o setor de serviços abriu 483 vagas este ano.

EMPREGOS EM MAIO

Na microrregião

ADMISSÕES                                  741

DESLIGAMENTOS                         742

SALDO DE EMPREGOS NO ANO

 ADAMANTINA                            72

FLORA RICA                                -31

FLÓRIDA PAULISTA                    102

INÚBIA PAULISTA                      -33

IRAPURU                                   -1

LUCÉLIA                                   1106

MARIÁPOLIS                             -10

OSVALDO CRUZ                     -210

PACAEMBU                               49

PARAPUà                                401

PRACINHA                               -3

RINÓPOLIS                            -13

SAGRES                                   1

SALMOURÃO                         43

Crédito: https://www.impactonoticias.com.br/2020/07/03/mesmo-com-pandemia-lucelia-e-parapua-geram-mais-de-15-mil-empregos-em-2020/

.