AMENDOIM: EM TUPÃ, AMENDOIM ALCANÇA A MARCA DE 100 REAIS A SACA DE 25 KG

O preço do amendoim chegou a um patamar recorde. Hoje em Tupã a saca de amendoim de 25 kg com casca, preço à vista, está cotado a R$ 100,00.
O site Amendoim S.A manteve contato com o presidente da Câmara Setorial do Amendoim, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Luís Antônio dos Santos Vizeu, que atribuiu a cotação ao fato do dólar continuar em alta e a boa demanda externa pela qualidade do produto brasileiro.
Os produtores estão satisfeitos com o preço, assim como o setor de exportação que gera divisas para as cidades e emprego para a população.
Dados do Instituto de Economia Agrícola (IEA) de São Paulo, da Secretaria de Abastecimento e Agricultura do Estado, de 2020, aponta como principais municípios exportadores do amendoim descascado, Tupã, seguido de Borborema, Jaboticabal, Sertãozinho e Pompéia.
Porém, Vizeu ressaltou que é preciso ter cautela, pois o preço pode cair lá na frente. “Existem períodos de alta e de baixa. O comportamento do mercado é cíclico. Não dá para saber exatamente até quando este preço do amendoim vai se manter. O produtor deve aumentar a área plantada na medida em que haja capacidade de beneficiamento desse amendoim logo após a colheita, pelo menos pré limpeza e secagem. Daí ele está garantindo qualidade e consequentemente mercado. Não pode se empolgar pelo preço atual da saca. Mas é preciso saber onde vai colocar o amendoim. Se há demanda, mercado para vender o produto, além de investir em qualidade como segregação, secador”.
Nesse sentido, também explicou que atualmente os Estados Unidos e a Argentina são países que tem uma competitividade forte com o amendoim brasileiro, o que pode influenciar o preço por uma superprodução ou frustração de safra. Na oportunidade, explicou que o aumento no consumo de amendoim pelos países importadores está relacionado com a pandemia da Covid-19, especialmente na Europa, onde teve grande procura em razão do produto ser mais barato que as nozes, castanhas, amên-doas e avelãs.  

Exportação
Estimativa realizada pela Câmara Setorial em 2018 revela que 65 a 70% do amendoim   produzido é exportado na forma de grãos e óleo, de 7 a 10% vão para sementes e de 23 a 25% são consumidos no mercado interno.
De acordo com Vizeu, a previsão é que o Brasil produza este ano entre 800 a 900 mil toneladas de amendoim em casca.
Atualmente, de acordo com projeções elaboradas pela Câmara Setorial, o brasileiro consome em média de 600 a 800 gramas por ano. Já nos Estados Unidos, este consumo é de 4,5 kg e na China é de 6 kg.
A Associação Brasileira das Indústrias de Chocolates, Amendoim e Balas (ABICAB) orienta que o consumo indicado é de 30 gramas diariamente, valor este recomendado em razão dos benefícios nutricionais do amendoim.
Dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, por meio do Comex Vis, mostram que desde janeiro até julho deste ano, foram exportados US$ 198,07 milhões de dólares, o equivalente a 153.726,4 toneladas. “Estamos no caminho para o recorde de exportações de amendoim”, frisou.

O principal país importador é a Rússia, que importou neste primeiro semestre US$ 60,2 milhões, o que representa 31,8% das exportações, seguido de Argélia (18,5%) e Países Baixos (11,7%). Em 2019, foram exportados US$ 230,64 milhões de dólares, o equivalente a 198.028,2 mil toneladas.
Na oportunidade, Vizeu disse que de um modo geral, todos os alimentos subiram de preço no Brasil. Numa análise preliminar, disse que o preço da saca de amendoim ao valor de R$ 100,00 pode ser explicado pela valorização do dólar, pois quase 70% é exportado e pela boa demanda internacional, que puxa os preços para cima.

(Por Marcus
Guilherme
Bianchi Yano, do site Amendoim S.A)

Créditos: http://www.diariotupa.com.br/Noticias/noticia.php?amendoim-em-tupa-amendoim-alcanca-a-marca-de-100-reais-a-saca-de-25-kg&IdNoticia=21946&IdCategoria=2
.